Previsão do Tempo
Bauru
Bairros

Polícia investiga incêndio no Caic

Autoridades políticas também estão mobilizadas para frear série de cerca de 20 ataques à escola, que culminou com fogo em prédio no último sábado (30)

03/10/17 07:00
Tisa Moraes e Nélson Gonçalves
Divulgação
Segundo a secretaria, apesar dos grandes estragos, arquivo principal da escola não foi destruído

O assustador número de atos de vandalismo e furto de que a Escola Estadual Professora Marta Aparecida Hjertquist Barbosa (Caic), no Nova Esperança, vem sendo alvo chegou ao limite no último fim de semana. Devido ao incêndio que destruiu parte dos materiais da unidade na noite de sábado (30), a Polícia Civil iniciou investigações sobre o caso e autoridades começaram a se mobilizar com o objetivo de encontrar soluções para o problema.

Ainda que registros de vandalismo e furto dentro das escolas de Bauru não sejam uma novidade, a soma de 20 ocorrências dentro do Caic em apenas um ano (dados oficiais da Secretaria de Estado da Educação) vem gerando, no mínimo, estranhamento entre educadores e políticos da cidade.

Com a ação extrema do fim de semana, vereadores iniciaram uma mobilização na Câmara Municipal, com o agendamento de uma reunião para amanhã, que deve contar com a participação de representantes das secretarias de Educação do Estado e do município e do comando da Polícia Militar. Conforme o JC apurou, o Ministério Público também já está ciente do caso.

Nessa segunda-feira (2), homens do Setor de Investigações Gerais (SIG) da Polícia Civil de Bauru estiveram no prédio para buscar pistas que possam indicar quem foram os autores do ato de vandalismo e as motivações para tamanha destruição. O relatório com as primeiras informações deve ser divulgado nos próximos dias.

Segundo a Diretoria Regional de Ensino (DRE), o Caic conta com câmeras de segurança e as imagens gravadas naquela noite serão entregues à polícia. Também nessa segunda (2), um engenheiro da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE), vinculada à Secretaria de Estado da Educação, vistoriou o prédio.

REAÇÃO

Titular interina da DRE, Beatriz Ortiz revela que a estrutura física do prédio não foi comprometida e os reparos necessários para a retomada das aulas já foram iniciados. "Nesta primeira avaliação, ainda não tivemos a dimensão dos custos envolvidos, mas trata-se de uma obra de médio porte. Esperamos que, entre quinta e sexta-feira, já haja condições de retomar as aulas com remanejamento de salas para outros espaços da escola que não foram atingidos", salienta.

Ainda que informações preliminares tenham dado conta de que o arquivo da escola fosse o principal alvo do incêndio, Beatriz garante que nenhum documento da unidade foi destruído. "Eles entraram pela cozinha, onde são realizadas oficinas de padaria artesanal, e acessaram um depósito de materiais do programa Escola da Família, onde estavam cartolinas e alguns livros. O incêndio teve início ali e as chamas se alastraram para as salas de aula que ficam no piso superior, mas não houve acesso às dependências do setor administrativo", esclarece.

Para tentar conter a série de ataques ao Caic, a DRE informou que irá solicitar à Secretaria de Estado da Educação o aumento do número de câmeras de monitoramento na unidade e que participará das discussões propostas pelo Legislativo municipal nesta semana. "A Polícia Militar também já está intensificando as rondas escolares no entorno da escola", completa.

Crime mobiliza Câmara

O vandalismo no Caic da Vila Nova Esperança repercutiu e mobilizou a Câmara Municipal, durante sessão legislativa, nessa segunda-feira (2). O presidente da Câmara, Sandro Bussola (PDT), mostrou indignação com o episódio.

"Estive na escola hoje (segunda-2) pela manhã. Eram professores, pais e alunos chorando. Fizeram uma mobilização, revitalizaram a escola recentemente com a participação da comunidade e vem essa ação lamentável. Apelamos para a Polícia Militar e Polícia Científica para atuarem firmes na apuração desse fato, que é contra toda a sociedade. Temos de reagir firmes", disse.

A vereadora Chiara Ranieri (DEM) anunciou, como presidente da Comissão de Educação, reunião extraordinária nessa quarta-feira (4), às 9h, com a participação dos dirigentes da Diretoria Regional de Ensino, da Educação Municipal, diretoria e conselho de pais do Caic, Polícia Militar e Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) da área abrangida pela escola para discutir o problema.

"Estamos convidando os diretamente ligados ao problema e demais autoridades para que possamos discutir ações a respeito. É um problema crônico, que ultrapassou a barreira do vandalismo, e a sociedade não pode deixar passar esse episódio sem reação", lamentou.

Ler matéria completa
Mais notícias em Bairros
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo