Previsão do Tempo
Bauru
Economia

Soja terá produção 18,5% maior, de 113,9 milhões de toneladas, diz IBGE

08/06/17 19:00
Estadão Conteúdo

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de maio estima uma safra recorde de 113,9 milhões de toneladas de soja, 18,5% acima da produção verificada em 2016, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Já a área plantada de soja deverá subir 2,1% em relação a 2016, para 33,9 milhões de hectares. Com isso, o IBGE estima rendimento médio 3.367 kg/ha.

"Na presente safra, o maior produtor é o Mato Grosso, com 30,7 milhões de toneladas, ou 27% do total nacional. O Paraná é o segundo produtor, com 19,5 milhões de toneladas, ou 17,2% do total nacional. O Rio Grande do Sul aparece como terceiro produtor, participando com 16,3% do total nacional", diz a nota divulgada pelo IBGE.

Segundo o instituto, a estimativa para a produção da soja voltou a subir em maio, por causa do Rio Grande do Sul, "que aguarda uma produção de 18,6 milhões de toneladas, aumento de 7,6% em relação ao mês anterior". 

Houve reavaliação positiva de 0,6% na área plantada e a ser colhida. "O responsável por esse aumento de 1,3 milhão de toneladas a mais em relação ao mês anterior foi o rendimento médio, que aumentou 7,0% em decorrência, principalmente, do clima que beneficiou as lavouras no campo", diz o IBGE.

Milho

O Levantamento Sistemático da Produção Agrícola de maio estima uma safra recorde de 97,0 milhões de toneladas de milho, 52,3% acima da produção verificada em 2016. O milho de primeira safra terá produção de 30,994 milhões de toneladas (27,1% maior do que 2016), enquanto o milho de segunda safra terá produção de 65,963 milhões de toneladas (alta de 68,0% ante 2016). O IBGE estima crescimento de 17,2% na área colhida de milho.

"Com o fim da colheita da 1ª safra e início da safrinha, a estimativa de recorde vai se confirmando em todo o País, com novo incremento na produção nacional", diz nota distribuída pelo IBGE.

A estimativa de maio aponta para uma produção 3,7% maior do que a estimada em abril. "Desta vez, os dados foram impactados principalmente pelo aumento no rendimento médio nos Estados, que sofreu variação positiva de 1,7% na 1ª safra, totalizando 5.538 kg/ha e 3,8% na 2ª safra, que deve alcançar 5.475 kg/ha", diz o IBGE.

Segundo o órgão, a 2ª safra de milho também foi revisada positivamente. O destaque é Mato Grosso, "que elevou o rendimento médio em 11,5%, impactando diretamente na produção estadual, que deve alcançar 27,2 milhões de toneladas, 12,9% superior ao estimado anteriormente." 

O IBGE estima rendimento médio para o Mato Grosso de 5.937 kg/ha A área colhida no Estado também sofreu revisão positiva de 1,3% e deve alcançar 4.579.705 hectares, informou o IBGE.

Por outro lado, em Minas Gerais, foi revisada para baixo a estimativa de produção, "uma vez verificada perda de áreas de produção em Paracatu (Noroeste), Sardoá (Rio Doce) e Cascalho Rico (Triângulo) por conta da seca", diz o IBGE. 

Dessa forma, a estimativa para a área colhida em Minas Gerais encolheu em 1,5% na 2ª safra, "que deve ser de 379,2 mil hectares, totalizando uma produção de 2,0 milhões de toneladas"

Arroz

O levantamento do IBGE de maio estima uma safra de 12,2 milhões de toneladas de arroz, 14,7% acima da produção verificada em 2016. A projeção é uma área colhida de 2,0 milhões de hectares em todo o País. O rendimento médio ficará em 6.032 kg/ha, segundo o instituto.

Em relação à estimativa de abril, houve crescimento de 1,1% na projeção de produção. "Reavaliações das produções do Rio Grande do Sul, Mato Grosso e Tocantins foram as responsáveis pelo crescimento da estimativa mensal da produção", diz o IBGE, em nota.

Segundo o órgão, o clima foi benéfico às lavouras na atual safra Além disso, não há "maiores problemas com o excesso de chuvas durante a colheita, o que deve deixar o produto com uma boa qualidade".


 

Ler matéria completa
Mais notícias em Economia
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo