Previsão do Tempo
Bauru
Geral

Dia das Crianças: pets não são brinquedos

Compras por impulso na data podem não considerar que animais de estimação demandam diversos cuidados e investimento financeiro por muitos anos

11/10/17 07:00
Tisa Moraes
Ilustração
É preciso estar consciente de que o animalzinho não é meramente um presente

Assim como é difícil resistir a uma fofura de quatro patas, também é complicado não ceder aos desejos de um filho que quer levar um animal de estimação para casa. Mas, antes de escolher um pet para surpreender os pequenos no Dia das Crianças, é preciso estar consciente de que o animalzinho não é meramente um presente.

Sem diálogo prévio sobre as responsabilidades que ter um bichinho de estimação envolve, as crianças podem entender o "presente" como um brinquedo, que pode ser facilmente descartado quando deixa de ser novidade.

Na ânsia de deixar a garotada feliz, até mesmo os adultos podem não levar em consideração todas as obrigações que ter um pet em casa implica. Além de alimentação adequada, eles requerem cuidados constantes de higiene, castração, vacinas, vermifugação, abrigo e tempo dedicado com passeios e carinho, já que, assim como os seres humanos, cães e gatos - apenas para citar os tipos mais comuns que, juntos, somam mais de 45 mil animais em Bauru - possuem emoções, necessidades e desejos.

DEPENDENTE

"Ainda que, dependendo da idade da criança, a maior responsabilidade sobre a guarda seja dos pais, ela precisa compreender que o animal não é um produto descartável, que vai viver até 15, 20 anos, sendo dependente daquela família", explica Thaís Viotto, presidente Comissão de Defesa e Proteção Animal da OAB de Bauru e do Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (Comupda).

Outros aspectos a serem considerados é o pet ter porte adequado ao espaço em que irá viver e que a chegada dele ao novo lar seja um desejo compartilhado entre todos os membros da família. "Outro ponto é verificar se a residência é segura, com muros e portões suficientemente altos e telas em apartamentos para evitar quedas", descreve Thaís.

IDADE E CUSTOS

Ela diz que os custos envolvidos variam muito, dependendo do porte e do tipo de pelagem do animal, que podem requerer maiores investimentos com ração e banhos e tosas periódicos no pet shop. Da mesma forma, conforme avalia a presidente da ONG Bem-Estar Animal, Damair de Almeida, não é possível estabelecer uma idade mínima para uma criança assumir responsabilidades sobre os cuidados de um bicho de estimação.

"Vai depender muito do nível de consciência que ela tiver e isso varia de acordo com o diálogo que os pais estabelecem sobre o fato de animais serem seres que sentem, assim como a gente, e que precisam de cuidados diariamente", observa. Ela recomenda, ainda, que os pais considerem a possibilidade de optar por pets que estejam disponíveis para adoção, uma forma de afastar, de maneira mais enfática, a ideia de que o pet é um produto.

"Com raça ou sem raça, todos os animais possuem o mesmo valor sentimental, todos podem ser carinhosos e trazer alegria para a casa. Quando se fala de amor, a aparência, o status do pedigree é o que menos importa.; Dar a oportunidade a um animalzinho sem lar pode transformar a vida dele e a sua também", completa.

PARA BRINCAR

Samantha Ciuffa
Enquanto escolhia presentes, Julia se divertiu com bambolê

Na hora de escolher o presente do Dia das Crianças, é preciso estar atento aos anseios dos pequenos. Deste modo, criança que quer brinquedo deve ganhar... brinquedo!

Júlia Souza, 10 anos, por exemplo, já ganhou uma casa de bonecas. Ontem, ela já decidia, na Loja do Pereirão, no Centro de Bauru, na companhia da mãe, Elisabete Souza, 28 anos, quem seriam suas "novas moradoras". "Eu gosto muito de brincar de boneca, então prefiro ganhar brinquedos do que roupas", comenta."Acho que criança tem mais é que brincar mesmo, se envolver com as histórias que eles inventam enquanto brincam", comenta a mãe.

Já Rosimeire Correa, 29 anos, conta que a filha, Estefani, 7 anos, além de bonecas, também gosta de livros de colorir. Ontem, entre tantas opções na loja, a mãe precisou ter paciência para que a pequena escolhesse seu presente. "Se deixar, ela brinca o dia todo em casa. E, como está aprendendo a ler, também está começando a gostar de livros com histórias", diz.

Ler matéria completa
Mais notícias em Geral
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo