Previsão do Tempo
Bauru
Polícia

Delegado evita linchamento de acusado de tentativa de estupro

E a ‘vítima’ responderá por denunciação caluniosa; contradições no depoimento da mulher levaram à liberação do suspeito

10/10/17 07:00
Tisa Moraes

Uma mulher que denunciou seu vizinho por tentativa de estupro deverá responder a inquérito por denunciação caluniosa depois de entrar em contradição durante depoimento prestado na Central de Polícia Judiciária (CPJ) de Bauru. Momentos antes, familiares dela e populares haviam se voltado contra o homem, mas uma eventual tentativa de linchamento foi evitada após abordagem do titular da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise), Luiz Augusto Puccinelli, que passava pelo local.

O caso foi registrado no domingo (8), por volta das 23h20, no Jardim Aeroporto. Segundo boletim de ocorrência, a mulher, de 47 anos, contou que o vizinho, de 23 anos, teria tentado violentá-la em 1 de outubro, quando ela chegava em seu apartamento. Ele teria entrado à força no imóvel e só não a teria estuprado porque ambos entraram em luta corporal.

Ao retornar para casa na companhia de parentes, anteontem à noite, ela teria se deparado com o homem, que fugiu por medo de ser linchado, até ser abordado por Puccinelli. Após a PM ser acionada, a mulher e o homem foram levados à CPJ, quando ele relatou já ter mantido relações sexuais consentidas com a vizinha por sete vezes, mostrando conversas no WhatsApp que comprovavam a relação de intimidade entre eles.

Depois de, inicialmente, alegar "nunca ter dado conversa" para o vizinho, a mulher foi questionada sobre a versão apresentada por ele e acabou admitindo que os dois fizeram sexo por duas vezes. O homem afirmou, ainda, acreditar que vizinha inventou a história para conseguir mudar de endereço sem pagar multa rescisória, intenção que ela já teria revelado a ele anteriormente.

Questionada, a mulher negou que a tentativa de estupro foi inventada, mas reconheceu que a denúncia contribuiu para evitar o pagamento da multa, por ter reforçado que o prédio não era seguro. Entendendo que a versão apresentada pelo homem era mais coerente e sem contradições, o delegado plantonista Luiz Cláudio Massa registrou boletim de ocorrência por denunciação caluniosa e lesão corporal contra a mulher, que responderá a inquérito em liberdade. O vizinho também foi liberado.

Ler matéria completa
Mais notícias em Polícia
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo