Previsão do Tempo
Bauru
Política

Câmara aprova pediatras em UPAs

Legislativo demonstrou preocupação com possibilidade de não haver verba suficiente, pois não teve garantias disso, mas aprovou o projeto de lei

13/06/17 07:00
Thiago Navarro
Aceituno Jr.
Vereadores na sessão dessa segunda (12), quando foi aprovado o projeto para contratação de pediatras

Mesmo sem conseguir saber de onde virá o dinheiro, a Câmara Municipal aprovou ontem, em dois turnos, o projeto de lei do prefeito Clodoaldo Gazzetta (PSD) que autoriza o município a celebrar convênio com a Fundação Regional de Saúde para a contratação de médicos pediatras nas Unidades de Pronto Atendimento (UPA) do Ipiranga e Mary Dota.

O impacto é de R$ 6 milhões anuais no orçamento, caso todas as escalas sejam preenchidas, sendo R$ 3 milhões em cada UPA. Além disso, a unidade do Geisel/Redentor já havia sido autorizada a contratar pediatras, também via Fundação, em projeto anterior, que também prevê a contratação de clínicos gerais na mesma UPA.

Já a UPA do Bela Vista terá pediatras da própria rede municipal, que atualmente estão lotados no Pronto Atendimento Infantil (PAI) e serão deslocados quando esta entrar em reforma, prevista para o segundo semestre.

Apesar da aprovação unânime, os vereadores reiteraram a preocupação com o custeio dos profissionais. Em reunião na semana passada, o secretário de Saúde, José Eduardo Fogolin, não detalhou de onde sairão os recursos. Outro aspecto apontado pelos parlamentares é a falta de pediatras no mercado, mesmo com o alto valor pago por cada plantão, que é de R$ 2.100,00, ou seja, quase 2,5 vezes um salário mínimo por apenas 12 horas de trabalho.

ESTRUTURA

O vereador Markinho Souza (PP) citou a falta de infraestrutura das UPAs para receber a pediatria. "A ideia de descentralizar o atendimento pediátrico é antigo, mas é necessário saber se a acomodação dos locais é adequada, com salas suficientes e espaço para espera, pois um novo público vai procurar as unidades", resumiu.

Telma Gobbi (SD), por sua vez, falou da própria questão orçamentária. "A preocupação que tenho é com a questão orçamentária, mas temos que dar as ferramentas para que o Poder Executivo possa trabalhar. Esta Câmara teve o compromisso de analisar o projeto assim que fosse enviado", lembrou. A parlamentar também cobrou da Secretaria de Saúde uma estrutura mais adequada na sala de espera do PAI.

"O assunto está sendo bastante discutido. Vamos dar esse voto de confiança ao governo, até porque se não aprovarmos, vamos chamar para esta Casa de Leis a responsabilidade", disse José Roberto Segalla (DEM). "Não sabemos de onde virão os recursos, mas temos que dar fluidez ao processo e a administração municipal encontrar e melhor solução", mencionou Natalino da Pousada (PV).

OUTROS

Também foi aprovado projeto que autoriza a transposição de R$ 4,5 milhões na Secretaria de Saúde, sendo R$ 1,5 milhão oriundo da Secretaria de Obras, e ainda autorização para que a prefeitura repasse verba para o Cips e Legião Mirim. E foi novamente sobrestado, por uma sessão, o projeto que altera o Fundo Municipal do Zoológico, pois o diretor do Zoo, Luiz Pires, é esperado hoje no Legislativo para explicar o texto. Já em segunda discussão, foi aprovada a contratação de 70 professores substitutos para a educação infantil.

Arbitragem

O vereador Coronel Meira (PSB) questionou a contratação de árbitros de futebol e futsal pela Semel. A licitação está aberta e, conforme a coluna Entrelinhas mostrou ontem, em 2016 foram gastos cerca de R$ 600 mil, sendo mais de R$ 460 mil só com futebol amador e master. O vereador José Roberto Segalla (DEM) também pede a revisão desse tipo de subsídio, ainda que para o próximo ano, conforme prometeu o secretário de Esportes, Luis Faustini. Já Markinho Souza (PP) ponderou e pediu mais discussão do assunto, pois o futebol amador é a principal diversão em muitos locais na periferia.

Ler matéria completa
Mais notícias em Política
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo