Previsão do Tempo
Bauru
Tribuna do Leitor

Nem coxinha, nem mortadela, bananas

Joo lvares, Jornalista

Com o título acima, o pastor sênior da Igreja Batista do Estoril, senhor Hugo Evandro Silveira, publicou um maravilhoso artigo sobre a situação dramática que estamos passando. O nobre pastor escreveu "que o Brasil não há nem coxinhas, nem mortadelas, mas bananas. O Brasil está se esvaindo em corrupção".

E vai além com sua história dramática, terminando com este símbolo: (2 Cr 7.13-15) - se eu fechar o céu para que não chova, ou se ordenar aos gafanhotos que devorem a terra, ou se enviar a praga entre meu povo; e se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar e buscar a minha presença, e se desviar dos seus maus caminhos, então ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra. Os meus olhos estarão abertos e os meus ouvidos atentos à oração que se fizer neste lugar. Será que essa "cambada" vai escutar essa orientação de Jesus?

Duvido, sr. pastor! Mas na verdade somos todos pecadores.

Sr. pastor, precisamos nos decidir sobre o que devemos fazer, as eleições estão próximas, depois que escreveram que o brasileiro não sabe votar, nós não concordamos com essa expressão, mas sabemos que é a pura verdade! Isso todos concordarão. Pois aí está um exemplo: quem vota em cacareco ou no palhaço Tiririca, este só sabia cantar uma musiquinha... Clementina, Clementina... quando sentimos que devemos cumprir com alegria os nossos deveres para com a vida destinando o nosso esforço ao aprendizado, parecemos que os nossos olhos se abrem para a vida maior.

É nesse sentido as orientações contidas no Evangelho, que nos revela que o céu se encontra dentro de nós em nossa intimidade, onde podemos ver e escutar o Pai e o Mestre...

voltar ao topo