Previsão do Tempo
Bauru
Bairros

Começa a perfuração do 1.º poço do Plano de Estiagem em Bauru

Objetivo é reforçar o abastecimento de água no Jardim América e Jardim Europa, regiões que dependem do Batalha

11/01/19 07:00
Divulgação
Unidade terá 280 metros de profundidade e uma produção estimada em 180 mil litros por hora

A Prefeitura Municipal, através do Departamento de Água e Esgoto (DAE), iniciou nessa quinta-feira (10) a perfuração do poço tubular profundo Jardim América 2, localizado na quadra 1 da rua Iacanga. O serviço está sendo executado pela empresa contratada Hidrogeo Perfurações Ltda.

A unidade, que terá 280 metros de profundidade e uma produção estimada em 180 mil litros por hora, promete reforçar o abastecimento no Jardim América e Jardim Europa, bairros que também são supridos pelo manancial do Rio Batalha.

De acordo com a assessoria do DAE, este é o primeiro poço licitado no governo Gazzetta e se caracteriza por ser um contrato mais abrangente, uma vez que a empresa executora dos serviços deverá entregar a obra completo. Além da perfuração e instalação de bomba e tubulação adutora, ela precisa fazer todas as edificações como cabine de força, fechamento e urbanização do local, como também a interligação com a adutora que leva a água produzida até o reservatório.

MAIS UNIDADES

A perfuração do Poço Jardim América 2 faz parte das obras do Plano de Contingência de Estiagem, iniciadas em julho do ano passado com a implantação dos primeiros 1,1 mil metros de tubulação, ligando o Poço do Jardim Imperial à rede da avenida José Vicente Aiello, no Parque das Nações.

Para esta segunda-feira, está previsto o início da perfuração do Poço Geisel 3. E, ainda neste mês, deverá ser iniciado o processo de licitação do Poço Santa Cândida.

Além da perfuração desses três poços profundos, o Plano de Contingência de Estiagem contemplará a implantação de 10 quilômetros de adutoras, interligando unidades de produção ociosas com outras, cuja produção já está saturada. De acordo com o presidente do DAE, Eric Fabris, "com essa engenharia hídrica, as regiões abastecidas pelo Rio Batalha receberão 212 litros por segundo, o que representa uma redução de quase 40% dos 550 litros por segundo que são captados atualmente naquele manancial".

Ler matéria completa
Mais notícias em Bairros
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo