Previsão do Tempo
Bauru
Cultura

Livro vê dor como 'sopro motivador'

Advogada Isabel Viotto lança hoje à noite, em Agudos, sua primeira obra com poemas reunidos a partir de reflexões sobre desafios e aprendizados

12/02/19 07:00
João Pedro Feza
Fotos: Divulgação
Poemas na juventude foram "berço" do projeto que resultou nesta obra: outras virão em breve
Isabel Viotto: primeiro livro traz 42 poemas e ganha "estreia"

Advogada da área criminal e de família em Agudos, Isabel Viotto lança hoje, às 19h30, seu primeiro livro: "Censura Dores" (Canal 6 Editora). "Eu escrevia na juventude e parei. Voltei há pouco tempo e o livro é resultado dessa produção mais recente", resume.

Como o título indica, a autora reflete - em poesia - sobre a era exibicionista vigente, na qual quase tudo é uma alegria só nas redes sociais, em contraponto com o fato de que as dores da vida podem ser um aprendizado importante.

"Hoje em dia há uma ditadura da felicidade", avalia. "Mas a gente aprende mais sofrendo do que quando é feliz. Se você tirasse os percalços que teve na vida, muito provavelmente pouca maturidade sobraria".

Para ela, "dão aquela maquiada na dor, mas a dor continua lá - e sem ser entendida como episódio para o amadurecimento pessoal".

Os 42 poemas, agrupados nos últimos anos, deixaram a autora, de 48 anos, com ânimo renovado para projetos literários futuros. Por enquanto, contudo, o foco é o livro de hoje. Que, aliás, também é fruto de dores sentidas e absorvidas pela própria Isabel - como quando precisou, por uma combinação de fatores, parar com uma de suas paixões, que era competir em provas a cavalo.

Mãe de dois filhos - Luiz Felipe, 19 e Ana Cristina, 23 -, Isabel entende ser sua produção poética também uma válvula de escape em relação às situações cotidianas com as quais convive na advocacia, como casamentos desfeitos e crianças vitimizadas. "E é bacana notar que um texto, assim como a música, pode incentivar outra pessoa a viajar nos próprios sentimentos dela." 

SERVIÇO

Lançamento do livro "Censura Dores", de Isabel Viotto (Canal 6 / R$ 25): 12/2, hoje, às 19h30, no Espaço Histórico Plínio Machado Cardia- rua 13 de maio, 441, Centro, Agudos. Mais informações na página da autora no Facebook e pelo e-mail [email protected] 

Poema 'Amarras'

Perdi o ponto...

O jeito... a conta...

Perdi a chance...

A paciência... o tempo...

Lancei fora desesperadamente

Sonhos... encantos... desejos...

Expectativa inútil de estancar a dor.

Restaram nesgas profundas...

Retalhos informes

Dispersos por todos os

cantos que vejo.

A tênue amarra permanece.

Não se dá dois passos... lá está ela...

Trazendo de volta o velho servil.

Não há acalentos...

Objetivos ou futuro.

Não há paixão...

Projetos ou encantos.

 

Ler matéria completa
Mais notícias em Cultura
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo