Previsão do Tempo
Bauru
Geral

Autuação por uso de celular na rodovia dispara e cai número de vítimas fatais

Número de multas por utilização do telefone cresceu mais de 50% em 2018 em relação ao ano anterior; já as mortes tiveram queda de 20%

12/01/19 07:00
Ana Beatriz Garcia

Apesar dos perigos já amplamente discutidos, muitos motoristas ainda têm o hábito de dirigir e utilizar o celular ao mesmo tempo nas estradas. Segundo o balanço da Polícia Rodoviária sobre o ano de 2018, divulgado nessa sexta-feira (11), as autuações por uso de celular na rodovia tiveram um aumento de 52,5% em relação ao ano de 2017 em Bauru e região. Como reflexo da intensificação desta e de demais fiscalizações, o índice de acidentes registrou queda geral, sendo a diminuição mais expressiva no que se refere às vítimas fatais: 20% a menos (confira todos os índices no quadro ao lado).

Malavolta Jr.
O tenente-coronel Adriano Aranão é o novo comandante do 2.º Batalhão de Policiamento Rodoviário

Novo comandante do 2.º Batalhão de Policiamento Rodoviário, o tenente-coronel Adriano Aranão atribui o saldo positivo ao trabalho diuturno dos policiais nos 185 municípios em toda a área de abrangência, inclusive Bauru.

“O uso do aparelho celular é, de fato, um grave componente na ocorrência de acidentes. E, por conta disso, tem merecido maior atenção, em especial do policiamento rodoviário. Por conta disso, nós intensificamos a fiscalização do uso do aparelho celular pelo motorista ao volante, sobretudo, nos trechos urbanos das rodovias, onde as pessoas se utilizam da estrada como um trajeto para suas casas e trabalho e, comumente, acabam falando ao celular durante suas viagens”, destaca o tenente-coronel. “É importante o motorista ter a consciência de que, ao volante, ele não pode ter esse desvio de atenção, seja com mensagens ou ligações”, alerta.

De acordo com o levantamento, em 2017, foram registradas 1.084 autuações por uso de celular ao volante, já em 2018, o número saltou para 1.653. Demais operações de fiscalização também registraram elevação de um ano para o outro, já que houve uma intensificação dos trabalhos da Polícia Rodoviária em todo o Estado, alinhados à década de Ação pela Segurança no Trânsito, promovida pela Organização das Nações Unidas (ONU), de 2011 a 2020.

EMBRIAGUEZ

Foi o caso também da quantidade de condutores submetidos ao teste do etilômetro, que, em 2018, foi de 206.267, número 83,45% maior que em 2017, quando foram registrados 112.437. “A embriaguez ao volante, indiscutivelmente, também é um grave fator de ocorrência de acidentes e, agora, temos a lei de que todo motorista que seja fiscalizado deve ser submetido ao teste. Caso ele negue, pode ser autuado pela recusa. É importante frisar que a palavra embriaguez nos remete à pessoa visivelmente bêbada, mas, ao volante, caracteriza embriaguez a ingestão de ao menos uma dose de bebida alcoólica. Não existe tolerância, o motorista, não pode beber nada”, reitera o tenente-coronel Aranão.

Autuações por embriaguez ao volante, pelo não uso cinto segurança e por ultrapassagens proibidas também registraram números maiores que os de 2017.

MENOS FATAL

Ainda de acordo com o tenente-coronel Aranão, além de intensificar as fiscalizações, houve aumento na quantidade de veículos fiscalizados neste ano em 26%. "Ou seja, nós ampliamos nossa atuação operacional. E, como consequência disso, nós tivemos esses indicadores positivos na redução de acidentes e vítimas, sobretudos, as fatais", afirma.

No ano de 2018, a Polícia Rodoviária registrou 231 acidentes com vítimas fatais, um número 20,62% menor que em 2017, com 291 mortes nas rodovias. Em dados gerais, o ano passado terminou com 6.522 acidentes, 10,65% a menos que 2017, que contabilizou 7.300. "Sinal de que todo nosso esforço operacional tem sido recompensado com o resultado positivo de preservação à vida", finaliza o tenente-coronel.

Douglas Reis/JC Imagens

Prevenção criminal

O balanço divulgado pela Polícia Rodoviária também abordou os dados acerca de apreensões de drogas. Em 2018, foram apreendidas mais de 47 toneladas de drogas, quase 10% a mais das 43 toneladas registradas em 2017. "É um aumento significativo também em relação ao ano de 2017. O que demonstra que o policiamento rodoviário tem contribuído com a prevenção e repreensão criminal na nossa região. Isso evidencia o nosso compromisso não só com os usuários da rodovia, mas com todo o cidadão dos municípios ao redor", destaca.

 

Ler matéria completa
Mais notícias em Geral
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo