Previsão do Tempo
Bauru
Geral

Escola faz expedição no Atacama

Quatro professores e 30 alunos do Colégio D'Incao estão no Chile para estudar vulcões, astronomia, entre outros temas

26/05/19 07:00
Thiago Navarro
Divulgação
Uma das propostas é que os alunos aprendam sobre vulcanismo

Alunos e professores do Colégio D'Incao, em Bauru, estão desde a última sexta-feira (24) no deserto do Atacama. A expedição de quatro dias, até a próxima terça-feira (28), tem a proposta de conhecer de perto uma das regiões com maior potencial para observação do céu, além do bioma e aspectos naturais. Eles estão alojados na cidade de San Pedro de Atacama, no norte do Chile.

O grupo é formado por 30 alunos do Ensino Médio e pelos professores Robson Montanholi, de geografia e geologia; Tarcílio Loureiro, de filosofia; Ana Paula Freitas, de biologia; e Pedro D'Incao, de física e astronomia.

"Na expedição, os alunos terão aulas em campo sobre geologia, estudos dos gêiseres, dos processos geotérmicos e do vulcanismo com uma aula na base do Vulcão Lascar. Em biologia, estudaremos os biomas dessa região incrível. Além disso, trouxemos nossos equipamentos de análise do batimento cardíaco, que é conectado diretamente ao iPad do aluno para análise das alterações cardiovasculares em grandes altitudes. Haverá também coleta de solo e água para análise em nossos laboratórios em Bauru. Teremos alguns experimentos de física com câmeras infravermelhas conectadas aos iPads dos alunos, além de experimentos relacionados com a pressão e a temperatura desse deserto", comenta Pedro D'Incao.

Facebook/Divulgação
Grupo de professores e alunos do colégio bauruense partiu na sexta-feira (24) para o deserto do Atacama

OBSERVATÓRIO

O deserto do Atacama tem como aspecto marcante a facilidade para a observação de corpos celestes, uma vez que é o deserto não polar mais seco do mundo. Com rara formação de nuvens e afastado da iluminação artificial das metrópoles, é mais fácil ter o céu sempre limpo para a observação, tanto que há vários telescópios de projetos internacionais no deserto.

O professor Pedro D'Incao lembra que esta é uma das atividades. "Os alunos terão uma aula de astronomia com observações em telescópios. Vale lembrar que o deserto do Atacama é um dos melhores locais para a observação astronômica. Faremos também um estudo cultural sobre a população dessa região. Trata-se de um estudo imensamente enriquecedor e que ultrapassa as barreiras das disciplinas, em uma verdadeira experiência multidisciplinar", comenta.

"Todos os experimentos serão compartilhados com nossos alunos via redes sociais e nas análises feitas em nossos laboratórios. Faremos várias aulas com transmissão ao vivo em nossas redes, inclusive uma aula sobre vulcões (diretamente do Vulcão Lascar), nessa segunda-feira, que será transmitida aos nossos alunos", finaliza.

Você sabia?

O Atacama fica no norte do Chile e vai até a divisa com o Peru. Considerado o deserto não polar mais seco do mundo, também é o mais alto do planeta, com altitudes que superam os 2.500 metros. Por conta da rara ocorrência de chuvas e por estar longe de grandes metrópoles, o local é um dos mais favoráveis para a observação do céu. Inclusive, o maior telescópio do mundo fica no deserto do Atacama.

Ler matéria completa
Mais notícias em Geral
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo