Previsão do Tempo
Bauru
Geral

2.º aparelho de hemodinâmica quebra e Bauru fica sem o serviço pelo SUS

Único equipamento da cidade em funcionamento ficava no Hospital Estadual, mas está em manutenção; Hospital de Base segue sem previsão

12/06/19 07:00
Marcele Tonelli
Quioshi Goto/JC Imagens
Única máquina que fazia hemodinâmica pelo SUS em Bauru estava no HE, mas quebrou

A cidade de Bauru não conta mais com aparelho de hemodinâmica na rede pública. O único equipamento em funcionamento via SUS no município ficava no Hospital Estadual (HE), mas quebrou nos últimos dias e não há previsão para o conserto. A máquina realiza procedimentos fundamentais como cateterismos e angioplastias e é essencial para o diagnóstico e tratamento de doenças obstrutivas nas artérias, como o infarto, AVC, aneurisma, isquemia e trombose.

O novo problema ocorre pouco mais de um mês após o JC noticiar a quebra de outro equipamento do tipo, que ficava no Hospital de Base (HB). Como a cidade só contava com essas duas máquinas, a fila que já era gigante para o atendimento deve ficar ainda pior.

A Secretaria de Saúde do Estado afirma que os pacientes poderão ser encaminhados para Botucatu e que prioriza os casos graves. Contudo, pessoas de Bauru e região já começam a sofrer com os efeitos do desfalque.

NO PARTICULAR

Aceituno Jr.
Manoel Losila denunciou a nova quebra de aparelho

O problema da quebra da única máquina restante de hemodinâmica foi levantado na Câmara Municipal pelo vereador Manoel Losila (PDT) em sessão na última segunda-feira. Ele disse que soube da situação ao ser cobrado por familiares de pacientes.

"O prazo para conserto da máquina do HE é de, no mínimo, 4 meses. As pessoas estão tendo que tentar em hospitais de Botucatu e Jaú. É uma situação que deve impactar na ocupação de leitos em Bauru, porque pacientes que poderiam fazer os procedimentos e ser liberados ocupam vagas de internação", cita vereador.

Losila disse ter elaborado um documento que deve ser protocolado, hoje, no DRS e que cobra do órgão um plano emergencial para aquisição de cotas em unidades particulares. "Bauru tem várias clínicas com esse tipo de máquina", fecha questão.

HISTÓRICO

Em 30 de abril, o JC noticiava a quebra do aparelho no HB. Apesar de ser considerada obsoleta, a máquina realizava cerca de 70 cateterismos por mês e atendia angioplastias de urgência. A divisão da demanda era feita com o equipamento do HE, mais novo.

Na época, assim como agora, o Estado não informou quantos pacientes aguardariam em filas de espera pelo exame. Toda a demanda foi transferida para o HE após a inativação do serviço no HB.

Em decorrência da importância dos aparelhos, várias entidades de Bauru, se mobilizaram por causa do fim do serviço no HB em abril. O fato repercutiu e, em meados de maio, o vice-governador Rodrigo Garcia esteve na cidade e anunciou R$ 2,1 milhões para a compra de um novo equipamento.

Ele deu um prazo de seis meses, portanto, ainda deve demorar um pouco para a chegada da máquina.

OUTRO LADO

O Estado não deu prazo para que o conserto do aparelho de hemodinâmica do HE seja finalizado, assim como também não informou quando a nova máquina que será adquirida chegará ao Hospital de Base.

Em nota, o Departamento Regional de Saúde (DRS -6) de Bauru disse que todos os pacientes que necessitam dos procedimentos podem ser atendidos em serviços de referência da região, como o Hospital das Clínicas de Botucatu. E que casos mais graves e urgentes são priorizados. A regulação de vagas é feita pela Central de Regulação de Oferta e Serviços de Saúde (Cross).

Essencial

O equipamento de hemodinâmica possibilita exames em tempo real, por meio de imagens radiológicas dinâmicas. Os rastreamentos são capazes de identificar doenças cardiovasculares nos vasos cerebrais e em outros órgãos e membros, por meio de um procedimento pouco invasivo.

Quando a máquina do HB quebrou, em abril, várias entidades de Bauru,além da Câmara Municipal, se mobilizaram por causa da importância do serviço na cidade: Associação Paulista de Medicina (APM), Ordem dos Advogados do Brasil subsede Bauru (OAB), Associação dos Engenheiros, Arquitetos e Agrônomos de Bauru (Assenag), Associação Comercial e Industrial de Bauru (Acib). O prefeito Clodoaldo Gazzetta também lamentou a situação e ajudou nas tratativas para que a verba para o novo equipamento fosse liberada pelo Estado.

Ler matéria completa
Mais notícias em Geral
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo