Previsão do Tempo
Bauru
Política

Jardim discutiu força do agronegócio nos EUA

Deputado federal também avalia o cenário eleitoral para este ano

16/05/18 07:00
Thiago Navarro
Douglas Reis
O deputado federal Arnaldo Jardim foi secretário de Estado da Agricultura e agora voltou para o Congresso

O deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP) esteve na semana passada em Nova Iorque, nos Estados Unidos, onde participou de evento sobre a agricultura e o comércio entre os dois países, com produtores e membros do governo. No último sábado, ele passou por Bauru, para uma reunião do PPS, e concedeu entrevista no Espaço Café com Política do JC sobre este e outros assuntos.

Nos EUA, Jardim falou sobre o potencial do agronegócio brasileiro, principalmente do açúcar e do álcool. "Há dez anos, o Brasil produzia 18 bilhões de litros de etanol por ano, e os Estados Unidos 16 bilhões de litros. Hoje, o Brasil produz 26 bilhões de litros e os Estados Unidos chegaram a 42 bilhões de litros. Então, há muito potencial de crescimento ainda. Aqui no Brasil, o etanol é misturado na gasolina em mais de 25%, por iniciativa do meu mandato inclusive, que depois foi regulada pelo governo federal, e nos Estados Unidos eles adicionam apenas 10% e no inverno. Eles discutem ampliar isso para 15%, e no ano inteiro, o que pode impulsionar as exportações brasileiras do setor", comenta.

Outro ponto destacado é que os biocombustíveis poderão dar ganho econômico aos países, por se tratar de energia menor poluente do que os derivados de petróleo, como gasolina e óleo diesel. O etanol, biodiesel, bioquerosene e biometano estão entre os combustíveis que poderão ter aumento de produção e, com isso, gerar créditos financeiros aos países em transações internacionais, tornando-se uma moeda em negociações, afirma. Jardim foi o secretário estadual de Agricultura e Abastecimento até o começo de abril, quando retornou ao cargo de deputado federal e concorrerá à reeleição em outubro deste ano.

ELEIÇÕES

Ao passar pelo JC, Jardim também comentou o cenário eleitoral. O PPS já declarou apoio a Geraldo Alckmin (PSDB) para presidente e a Márcio França (PSB) para governador de São Paulo.

A legenda não pretende lançar candidato a senador, mas fortalecer sua bancada de deputados federais estaduais. "Estamos fechados com o Geraldo Alckmin. Estamos otimistas, ele deve crescer como um candidato forte de centro, fora dessa polarização de extremos de esquerda e direita", frisa.

No Estado de São Paulo, Arnaldo Jardim também aposta em um crescimento da campanha de Márcio França, com a formação de uma coligação de peso.

Na visita a Bauru, Jardim esteve com o presidente local do PPS, Arnaldo Ribeiro, e com o assessor Sérgio Murilo.

Primeiro ele falou com militantes e filiados, entre eles a ex-secretária do Bem-Estar Social Darlene Tendolo, que se filiou em abril e pretende concorrer a prefeito em 2020, e ainda os ex-secretários municipais de Planejamento, Edmílson Queiroz Dias, e de Obras, Eliseu Areco Neto, também membros da sigla.

O ato do PPS contou com a presença ainda de representantes de outras legendas, como o presidente da Câmara Municipal, Sandro Bussola (PDT). Após passar por Bauru, Jardim foi para Bocaina, Bariri, Boracéia e Pederneiras, todas na região.

O PPS deve ter em Arnaldo um dos deputados federais mais votados, com apoio em todo o Estado.

Ler matéria completa
Mais notícias em Política
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo