Previsão do Tempo
Bauru
Política

Emdurb implantará zona azul digital

Por meio do celular, será possível adquirir hora para estacionamento rotativo; Gerência de Trânsito já desenvolveu o software vinculado a aplicativo

11/01/19 07:00
Nélson Gonçalves
Fotos: Malavolta Jr.
Mesmo com a implantação da versão digital, a venda do talão pelo orientador vai permanecer

Em até 90 dias, quem for utilizar uma vaga do estacionamento rotativo em Bauru não vai mais ter de se preocupar em comprar o talão de papel. A gerência de Operações de Trânsito da Emdurb informa que será implantado a zona azul digital. A empresa municipal já ajustou o software para instalar o serviço e a forma de aplicação através de aplicativo para baixar no celular.

A próxima etapa será usar o sistema na fiscalização para o uso de agentes como Marcos Franco

Conforme o gerente de Operações de Trânsito, Gustavo Cardoso, falta apenas a contratação de empresa para incluir a forma de pagamento, por cartão de débito e crédito. "Já resolvemos a integração do software com o sistema da Emdurb e a interligação do software com o aplicativo para ser disponibilizado em uso em telefones celulares. Estamos com procedimento em andamento para realizar a licitação para definir a empresa que prestará o serviço de disponibilizar as formas de pagamento para a zona azul digital, por débito ou crédito, como é feito por outros serviços da mesma natureza e em outras cidades. Esta etapa final para implantar é realizada entre 60 a 90 dias", comenta.

Cardoso conta que o sistema prevê as mesmas situações de uso do estacionamento rotativo existente no talonário atual. "O sistema vai permitir que o usuário baixe o aplicativo em seu celular. O cadastramento é rápido, com os dados de identificação normais e a inserção do veículo. A zona azul digital oferecerá o uso para 1 hora, com a mesma regra de prorrogar por mais 1 hora o uso da vaga. Se for zona verde, o sistema aceita apenas a opção de 2 horas, por uma única vez. Quem se cadastrou efetua o pagamento vinculado a esse serviço que estamos licitando, com o cartão e usa a vaga", explica.

A zona azul digital não cadastra a vaga, o endereço utilizado. O sistema cadastra o usuário e o veículo que estacionou na zona autorizada. "Se o usuário não acionar o aplicativo e não efetuar o pagamento, este veículo poderá ser fiscalizado normalmente pelo agente de trânsito. O GOT (Grupo de Operações de Trânsito) terá acesso eletrônico ao cadastro. O acesso confirmará se aquele veículo acessou o sistema, se pagou pelo uso e a partir de que horário. O próprio sistema informa se o pagamento ainda está dentro do limite em lei (1 hora ou revalidação para 2 horas por uso)", conta o gerente.

E se o usuário tentar revalidar o sistema por mais de 2 horas na mesma vaga? "O sistema não permite essa situação, exatamente para garantir que o estacionamento seja rotativo. Quem não usou o aplicativo, não pagou e estacionou, o GOT terá a informação do sistema naquele momento e emitirá o auto de infração de imediato. Como a fiscalização dessa etapa também é pelo acesso ao sistema, essas multas serão incontestáveis, com prova material, reduzindo também os recursos hoje levados às Juntas de Julgamento (|Jari) por divergência de preenchimento ou outra situação", acrescenta.

MULTA ELETRÔNICA

O plano da gerência de trânsito é implantar o sistema eletrônico também para demais fiscalizações realizadas pelo GOT, em outra etapa. "Vamos começar pela zona azul digital e, depois do sistema testado e das pessoas acostumadas, implantaremos a fiscalização eletrônica digital. Com ela, o sistema permite imagem, hora, data e acesso aos dados do veículo e do usuário direto no sistema. A gestão da atuação dos agentes também melhora, porque as escalas, os locais percorridos e as incidências terão relatório específico disponíveis no sistema a ser implantado", aposta Cardoso. 

Ele explica que o talão de papel ainda continuará existindo. "Até pelo costume cultural dos usuários, vamos implantar a zona azul digital mas manter a venda do talonário pelos orientadores e também em postos de venda fixos, no comércio credenciado. Até que, aos poucos, o sistema digital tenha condições de ser utilizado por fotos. O fato é que a zona azul digital vai facilitar a vida do usuário e acabar com a reclamação de acesso ao pagamento do estacionamento rotativo. O celular é um aparelho praticamente universal utilizado pelas pessoas", argumenta.

A medida também vai facilitar a vida de quem comprou a primeira hora, mas precisa revalidar o serviço por mais tempo. "Os consultórios médicos, clínicas de exames, serviços de atendimento, terão esse benefício indireto. Se você estiver em uma consulta e demorou para ser atendido, não precisa voltar ao carro. Pode comprar a segunda hora de onde estiver, pelo aplicativo, no celular", enfatiza Gustavo Cardoso. 

A zona azul digital vai, por fim, gerar ferramentas de gestão. Qual a incidência de uso por veículo, em que região, em quais horários? Qual a rotatividade efetiva por região tem o serviço? "Todos esses indicadores poderão ser conhecidos em relatórios que o próprio sistema tem condições de disponibilizar, ampliando as ferramentas de gestão para a gerência de trânsito", finaliza. 

Malavolta Jr.
Em até 90 dias, a fiscalização no veículo que não tiver o cartão de zona azul será pelo sistema

Multas no trânsito em 2018

O boletim prévio do fechamento de estatísticas de trânsito em Bauru aponta queda de 36% na aplicação de autos de infração na comparação entre 2018 e 2017. Foram 43.094 multas aplicadas por policiais militares e agentes do GOT em 2017, contra 27.880 o ano passado, conforme a gerência de trânsito da Emdurb. 

Os locais que mais tiveram autuações no trânsito urbano de Bauru foram a quadra 17 da avenida Nações Unidas; a quadra 3 da rua Campos Salles, na Vila Falcão; e a quadra 16 da avenida Duque de Caxias, sentido Bairro-Centro. "Nas três faixas da quadra 17 da Nações Unidas, perto do Paulistão, passam 20 mil veículos por dia. O volume e a desatenção para o limite de velocidade na via apontam para a maior incidência de multas neste local. Na Falcão, por mais curioso que pareça, a multa no radar fixo em via de sentido na subida se dá porque o motorista tem dificuldade em não acelerar para manter o carro subindo, ultrapassando o limite. Na 'baixada' da Duque, perto do Bekassim, acontece o inverso. A descida logo após o semáforo gera infrações", comenta Gustavo Cardoso, gerente de trânsito. 

"Conforme os relatórios, a multa por condução de veículo em velocidade em até 20% do limite para a via lidera as estatísticas, seguida do estacionamento irregular no sistema rotativo ou não uso do cartão. Dirigir ao celular caiu do segundo para o quinto índice de mais autuações. A queda se deu pela mudança na legislação, com maior pontuação por ocorrência e elevação no valor da multa. Quando pesa no bolso, culturalmente ou não, o índice cai", avalia Cardoso.

Ler matéria completa
Mais notícias em Política
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo