Previsão do Tempo
Bauru
Regional

Conselho permite intervenção em prédio de armazém de Jaú

Investidor privado tem autorização para investir em centro cultural em prédio

12/01/19 07:00
Divulgação
Projeto de construção de novo teatro e centro cultural em Jaú

Jaú - O Conselho Municipal de Preservação do Patrimônio Arquitetônico e Cultural de Jaú (Conpacc) aprovou, em reunião na noite de quinta-feira (10), no Museu Municipal "José Raphael Toscano", o projeto de intervenção para transformação do prédio localizado no cruzamento das ruas Quintino Bocaiuva e Humaitá, pertencente à Vila São Vicente de Paulo, em um centro cultural.

As instalações estavam inventariadas em grau máximo de proteção e dependia de uma análise do Conpacc para permitir a restauração. O projeto arquitetônico foi apresentado na reunião, com os detalhes das alterações que vão ser feitas no antigo armazém. O prédio foi doado à Sociedade São Vicente e não vinha sendo utilizado. Um decreto de 30 de janeiro de 2017 determinou o tombamento. O Plano Diretor também estabeleceu que parte do prédio deve ser destinada a projeto cultural. "Os conselheiros aprovaram por unanimidade a intervenção, que destaca esse importante patrimônio arquitetônico de Jaú. Porém, eles ressaltaram a necessidade da obra atender outros dispositivos legais, como o Plano Diretor do Município e a Lei de Acessibilidade, quesitos que ultrapassam as atribuições do Conselho", disse Carolina Panini, secretária de Cultura e Turismo de Jaú e presidente do Conpacc.

Outra sugestão aos autores do projeto foi o aumento do número de cadeiras previstas para o teatro. A proposta foi bem recebida e, com a alteração no desenho, a capacidade da sala passou, de 200 para 380 lugares. "Essa recomendação foi feita porque Jaú já possuiu espaços para receber eventos culturais com essa capacidade (200 cadeiras). Logo, seria interessante termos um local que acomodasse mais pessoas", justificou a secretária.

Após a apreciação do Conpacc, o projeto de intervenção no prédio seguirá os trâmites legais para que a obra possa ser executada, uma vez que trata-se de investimento particular em imóvel de terceiro.

Ler matéria completa
Mais notícias em Regional
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo