Previsão do Tempo
Bauru
Segundando

Nos representam!

09/12/18 07:00
João Jabbour

Pedro Tobias, Rodrigo Agostinho, Marcos Pontes, Caio Augusto Silva dos Santos, Capitão Augusto, Rubens Cury, André Luiz de Almeida Mendonça, Estevan Pegoraro... O que eles têm em comum? Todos, de alguma forma, representarão Bauru e região nas altas esferas do poder federal, estadual e civil. Um leitor assíduo desta coluna, o Adilson Restanho, se mostra otimista com este fato novo e nos sugeriu como pauta.

Missão aceita, Adilson.

Vamos explicar um pouco melhor para quem não conhece todos os nomes listados acima. Pedro Tobias, mesmo deixando de ser deputado a partir de 2019, terá papel relevante no governo de João Doria, com ou sem cargo. No momento, é provável que ele exerça uma função importantíssima na saúde estadual. Como presidente estadual do PSDB, Tobias foi importante na eleição de Doria.

Outro médico, Rubens Cury, será o subsecretário estadual do Desenvolvimento Regional. Teria sido até o secretário, caso se dispusesse a deixar momentaneamente a medicina, algo de que não abre mão. Mas por sua experiência na Casa Civil durante o governo José Serra, quando coordenou todo o contato com o Interior do Estado, Cury recebeu insistentes pedidos e aceitou ajudar na montagem desta nova pasta, que vai se voltar ao Interior, Grande São Paulo e Litoral.

O ex-prefeito Rodrigo Agostinho, eleito deputado federal com 100 mil votos, será o primeiro representante da cidade na Câmara Federal depois de 20 anos. Tuga deixou aquela Casa em 1998. Ele já frequenta a Capital Federal, onde tudo diz respeito à política. Do taxista, quando se chega ao aeroporto, ao presidente da República, cada qual está ali ligado, direta ou indiretamente, a um ente do gigantesco Estado brasileiro. Rodrigo tem mais perfil de parlamentar do que de chefe de Executivo e pode se dar muito bem.

Outro que já está praticamente morando em Brasília é o astronauta Marcos Pontes, indicado ministro da Ciência e Tecnologia pelo presidente eleito Jair Bolsonaro. Ele é também segundo suplente de senador na cadeira que será ocupada por Major Olímpio. Dois voos altos na carreira que inicia na área da política. Em um país atrasado na produção autônoma de ciência e tecnologia, ele terá um desafio enorme pela frente. Acaba de transferir a Bauru seu instituto e sempre vem à cidade.

Capitão Augusto, 'nome de guerra' de José Augusto Rosa, foi reeleito deputado federal com votação muito expressiva e vai se mudar para Bauru, cidade com a qual tem afinidades. Ele é de Ourinhos, que fica a 125 quilômetros daqui, e já há alguns anos procura atender Bauru em suas demandas. É um político de fácil acesso, muito cordial e certamente será um interlocutor interessante para a cidade e região, pois é cogitado até para assumir a presidência da Câmara.

Saindo da política de Estado, o bauruense Caio Augusto Silva dos Santos acaba de conquistar a presidência da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) no Estado mais importante da Federação - São Paulo. É a maior OAB do País e certamente terá muito peso nas posturas em defesa da Cidadania e da Constituição que sempre caracterizaram a entidade nacionalmente. É uma liderança de perfil mais jovem e tem muita capacidade de articulação.

Ainda na área jurídica, André Luiz de Almeida Mendonça não é bauruense, mas, como Caio Augusto, se formou aqui, na ITE, berço de grandes nomes do Direito brasileiro. Foi anunciado por Jair Bolsonaro para chefiar a Advocacia Geral da União (AGU) a partir de 2019. A AGU defende os interesses do governo federal na esfera judicial.

Por fim, também entre os operadores do Direito, temos o Estevan Pegoraro, presidente da Frente Brasileira de Poupadores (Febrapo), que obteve grande vitória no Supremo Tribunal Federal (STF) ao costurar um acordo nacional para ressarcir os lesados nas cadernetas de poupança pelos mirabolantes planos econômicos de 30 anos atrás. Na última semana, recebeu do STF o 'Oscar do Direito', o Prêmio Innovare, por sua atuação neste caso de grande repercussão. Outra liderança jovem. Preside o Noroeste.

De todos eles, esperamos bem mais do que o inevitável papel de "despachantes de luxo" de Bauru em São Paulo e Brasília.

Torcemos para que tenham atuações republicanas em defesa dos interesses do povo brasileiro e da soberania do País.

Nossa democracia é representativa. Ao menos em tese, avançamos em relação aos últimos anos, ainda que não tenhamos eleito ninguém para a Assembleia Legislativa de São Paulo.

Ler matéria completa
Mais notícias em Segundando
As mais compartilhadas no Face
Recomendado
voltar ao topo