Previsão do Tempo
Bauru
Tribuna do Leitor

As Três Tias

Rosane Lopes Conceição

Nosso inesquecível teatrólogo maior Mauro Rasi criou uma peça de teatro para homenagear suas três tias; sua genialidade quase virou minissérie da Globo e as maravilhosas mulheres retratadas por ele não caíram no conhecimento do maior público nacional.

Desde aquela época, tenho me intrigado com este tema. Observadora que sou e instigada por uma colega de serviço, passei a refletir acerca das outras maravilhosas Três Tias que nos acompanham por toda a vida; em nossos relacionamentos diários ou não tão presentes, lá estão elas sempre marcando presença. É quase impossível não sofrer a influência e influenciar a todas as pessoas em seus atos.

Vou ser breve para escrever acerca delas, pois não sou especialista no assunto, somente uma curiosa observadora do cotidiano das pessoas. A primeira tem um nome incrível, antipatia, cuja natureza de formação de palavra já diz que é simplesmente do contrário.

Como consequência, sentimos uma aversão por algumas figuras de forma inexplicável desde o primeiro contato, movidos por simples antipatia; por vezes, para sermos claros nas nossas preferências, rejeitamos os indivíduos simplesmente e agimos como seus algozes e perseguidores, procurando apontar todos os defeitos para nos defender e não darmos nenhuma chance de aproximação.

A segunda tem um nome maravilhoso: simpatia. Descobrindo seu significado encontramos que o sim é afinidade por similitude. Assim, somos atraídos pelos iguais, os que pensam e agem como nós; os aplaudimos, os elogiamos e gostaríamos de tê-los sempre por perto, por serem uma companhia muito aprazível aos nossos sentidos; desculpamos tudo, qualquer deslize é imperceptível, somos defensores e aliados, procurando estar sempre dando chance de aproximação.

A última delas tem um nome que exige reflexão: empatia, pois seu significado mais claro é colocar-se no lugar do outro. Esta habilidade tem que ser desenvolvida para entender as pessoas e suas ações; quanto mais treino com a empatia, mais seremos capazes de evitar problemas e encontrarmos as soluções que podem ser aplicadas.

É uma tarefa que exige determinação, perseverança e até uma dose de obstinação, pois temos que deixar nossas preferências de lado para tentar entender o outro tão diferente de nós, sem a aversão natural provocada pela antipatia e a tão confortável sensação gerada pela simpatia com os nossos iguais.

Desta forma, as Três Tias de nossas vidas oferecem o colorido em nossas relações de afetividade e amizade. Dosar a sua presença é um aprendizado que se desenvolve por toda vida e assim teremos Boa Sorte e felicidade com as nossas Três Tias.

Leia mais em Tribuna do Leitor
voltar ao topo