Previsão do Tempo
Bauru
Tribuna do Leitor

Estou enfezado mesmo, e daí?

Marcela Camargo

Quem nunca ouviu essa frase? Por que ela é tão comum e tão verdadeira?

O intestino é um dos maiores órgãos do nosso corpo, mede o equivalente a 4 pessoas empilhadas com cerca de 1,80m cada uma, tudo enroladinho dentro da nossa barriga. Sozinho ele é responsável pela absorção de nutrientes, armazenamento de água, manutenção do sistema de defesa e eliminação daquilo que não vamos mais usar.

Nele ainda encontramos certo tipo de neurônios que conseguem inclusive regular respostas de alegria e tristeza. Quando não está funcionando bem, ficamos de mau humor, inchados e podemos até desenvolver doenças, tanto no próprio intestino, como em outras partes do corpo aparentemente nada relacionadas com seu bom funcionamento. Da mesma forma, quando está funcionando bem, é capaz de promover alegria e maior resistência a doenças, permitindo uma vida mais plena e saudável.

O que acontece é que as bactérias que moram no intestino (microbiota intestinal) tem a capacidade de regular a resposta do corpo. As "bactérias boas" colaboram com as próprias células do intestino para mantê-las saudáveis e também com as células do nosso sistema de defesa (sistema imunológico) para ajudar a combater infecções e até mesmo o câncer, além ainda de auxiliarem na liberação de serotonina, hormônio da alegria!

Mas como fazemos para mantermos nossa microbiota saudável? Alguns fatores como exercícios físicos e alimentação de verdade ajudam muito. Frutas, verduras, iogurtes naturais entre outros alimentos pouco ou nada industrializados são ponto chave para isso.

Probióticos e prebióticos, alimentos que auxiliam na formação e manutenção de uma microbiota saudável, melhoram muito nossa saúde e bem estar. Eles são facilmente encontrados em mercados e empórios e muitas vezes podem ser até doados, como é o caso do Kefir. Cuidar da alimentação e olhar mais atentamente ao funcionamento do intestino pode aumentar nossa qualidade de vida e também daqueles que estão ao nosso redor, pense nisso!

Leia mais em Tribuna do Leitor
voltar ao topo